• +55 15 3524 9494 contato@nutriceler.com.br

O Senhor é a minha força e o meu cântico, porque ele me salvou. (Sl 118:14)

#Inovacaoetecnologia

Sojicultor bate recorde de produtividade com fertilização fluida

Combinação de fertilizantes fluidos de alta tecnologia e técnica de aplicação diferenciada rendem produtividade recorde a sojicultor paulista

A última safra de soja colhida na região Sudoeste Paulista, famosa pela expressividade na produção de grãos, foi de sucesso e superação. Em Itaberá, o agricultor e engenheiro agrônomo, Pedro Paulo Mariano, comemora o recorde de produtividade em sua lavoura. Pedro Paulo é um dos agricultores brasileiros que investiram na tecnologia de fertilização fluida da soja via sulco de plantio, desenvolvida no Brasil pela empresa Nutriceler.

 

O agricultor aplicou os elementos fósforo, potássio, nitrogênio e enxofre, juntamente com substâncias húmicas, fúlvicas, aminoácidos e algas, todos em forma fluida, em um sistema inovador de manejo, mais prático e econômico. Favorecido pelo clima que ajudou durante o ciclo do cultivo, Pedro Paulo fala com orgulho sobre o sucesso do trabalho realizado em seus campos de soja. “Essa foi a safra em que alcancei a maior produtividade de todos os tempos, entre 70 e 93 sacas por hectare”, comemora.

O plantio foi realizado com uma plantadeira adaptada para os tanques de fertilizantes fluidos e proporcionou a Pedro Paulo, além da excelente produtividade, redução significativa no volume armazenado, transportado e aplicado. “Além de conseguir estocar os fertilizantes em um espaço bem menor, senti uma enorme diferença na rapidez do plantio. Realizei o tratamento em 100% da minha área de soja e pude perceber que as máquinas realizam pouquíssimas paradas para reabastecimento”, revela. O engenheiro agrônomo Leonardo Brisola Rodrigues, consultor da Nutriceler que acompanhou desde o plantio até a colheita, afirma que dependendo da capacidade de armazenamento dos tanques de fertilizantes, o plantio pode ser realizado durante o dia inteiro de trabalho sem a necessidade de reabastecimento.

Leonardo também destaca outras vantagens da tecnologia. “Podemos citar a redução dos gastos com combustíveis, a menor compactação do solo e o melhor aproveitamento da mão-de-obra. O ganho de rendimento na operação de plantio pode chegar a 30%, o que é excelente para quem planta”, diz. Leonardo conta ainda que, este sistema permite uma aplicação uniforme, sem desperdícios e com alto poder de concentração dos nutrientes próximos às sementes. Como estes fertilizantes são prontamente disponíveis às plantas, a absorção dos nutrientes é muito rápida.

Perguntas e Respostas
Um fato curioso chamou a atenção do agricultor e dos agrônomos que acompanharam o resultado da colheita. Pedro realizou análises de solo antes e depois da safra. Numa das áreas com baixa fertilidade, a produtividade foi de 93 sacas por hectare. Nesta área, antes e após o plantio, os resultados das análises demostraram que não houve redução dos níveis de fósforo nos solos.

Então, como explicar as altas produtividades sem redução dos teores de fósforo? De onde o fósforo foi extraído? Segundo o professor Claudinei Lima, pesquisador e doutor em fertilidade de solos que tem estudado a tecnologia, a exportação de fósforo foi alta para a obtenção desta produtividade recorde da propriedade. Assim, a razão de não ocorrer redução dos teores seria a utilização deste mix de produtos que contém aditivos que impedem a fixação do fósforo aplicado e promovem a conversão do fósforo fixado – ou não lábil – em fósforo disponível – ou lábil – para as plantas. “Vale salientar que a tecnologia aplicada promove o crescimento do volume de raízes tanto na horizontal quanto na vertical, aumentando o volume de solo explorado. Em consequência, houve aumento da absorção do fósforo, que precisa estar próximo às plantas, pois é um nutriente entra em contato com as raízes através do processo de difusão”, explica o pesquisador.

Conceito da tecnologia
A tecnologia de fertilizantes fluidos especiais aplicados no solo que o agricultor Pedro adotou é inspirada numa prática norteamericana, atualmente utilizada em grande parte da área plantada de soja nos Estados Unidos, líder mundial na produção da oleaginosa. “Há cerca de 6 anos a Nutriceler importou esta tecnologia e a adaptou para as condições de solos brasileiros, o que permite sua difusão em todo território nacional. Ao longo destes anos vimos que, além das vantagens operacionais e ambientais deste manejo, os resultados de produtividade não deixam dúvidas sobre sua eficiência agronômica, devido à excelente interação entre estes fertilizantes, os solos e as plantas”, explica Fernando Morais, gerente de comunicação e marketing da Nutriceler, que cita ainda: “Em alguns casos, há necessidade de adaptação do sistema de aplicação, e oferecemos total suporte neste sentido. Inclusive algumas empresas já estão desenvolvendo equipamentos específicos para esta demanda”.

Estudos apontam que a produção de alimentos – entre eles soja – deve crescer nos próximos anos devido ao aumento da população mundial, e o Brasil terá importante contribuição neste desafio. Este crescimento está intimamente associado ao desenvolvimento de novas tecnologias.

A adoção dos fertilizantes fluidos de alta tecnologia à base de NPK não descarta o uso de fertilizantes granulados convencionais, ressalta Fernando. “Nosso objetivo é contribuir com a melhora na eficiência do manejo nutricional integrando diferentes fontes de nutrientes, visando a obtenção dos resultados desejados nos âmbitos econômicos, sociais e ambientais. Isto vai ao encontro do conceito ‘4Cs’ preconizado pelo Instituto Internacional de Nutrição de Plantas – IPNI – que sugere o manejo de nutrientes considerando a fonte, dose, época e local correto para aplicação. O que buscamos com isto é racionalizar o uso de fertilizantes, e propiciar uma relação harmônica entre aumento da produção agrícola e preservação do meio ambiente, com base em novas tecnologias, informações, pesquisas e experiências”, conclui Fernando.




Publicado em 17/05/2016

Combinação de fertilizantes fluidos de alta tecnologia e técnica de aplicação diferenciada rendem produtividade recorde a sojicultor paulista