• +55 15 3524 9494 contato@nutriceler.com.br

O Senhor é a minha força e o meu cântico, porque ele me salvou. (Sl 118:14)

#Inovacaoetecnologia

Técnica de nutrição aumenta produtividade da soja e apresenta outras vantagens diretas

Fósforo, potássio e enxofre. Esses três elementos, envoltos em formulações de alta tecnologia, são os protagonistas de um dos projetos mais inovadores da história da agricultura moderna que a Nutriceler trouxe para o Brasil – o Projeto Pioneiros. A técnica que consiste em inserir fertilizantes fluídos com elementos nutricionais essenciais no momento plantio promove, além do aumento de produtividade a uma média de 15%, maior facilidade operacional e economia de recursos.

 

A safra de soja 2013/2014 foi a primeira experiência onde agricultores paulistas e paranaenses puderam pôr à prova os benefícios da tecnologia. A prática teve sua eficiência reafirmada em 2014/2015, com a participação de mais de 25 experientes agricultores em mais de três mil hectares de soja.

O Projeto Pioneiros também teve áreas plantadas nos estados de Goiás e Minas Gerais. A proposta da Nutriceler é diversificar a aplicação nos mais variados tipos de solos e climas, para afirmar a eficiência da técnica e as vantagens que ela envolve. Uma nova parceria com agricultores do Mato Grosso do Sul também já foi firmada para a safra de soja 2015/2016.

Manejo – A praticidade da operação e a economia de tempo e mão-de-obra foram algumas das condições que convenceram os agricultores a participar da iniciativa. O diretor técnico comercial da Nutriceler, o engenheiro agrônomo Nelson Schreiner Junior, explica que a aplicação dos fertilizantes fluídos é realizada por meio de plantadeira adaptada com um reservatório com os produtos Nucleus (fósforo e potássio), e com o produto Maxifós (à base de ácidos húmicos, ácidos fúlvicos, extrato de algas e aminoácidos). “A combinação dos fertilizantes é aplicada por meio de mangueiras e bicos injetores direcionados ao sulco de plantio. Esse sistema permite uma aplicação uniforme, sem perdas e com alto poder de concentração dos nutrientes próximo às sementes”, diz Schreiner.

O engenheiro agrônomo revela ainda que a operação de plantio com fertilizantes fluidos pode proporcionar grande economia. “Percebemos uma redução de cerca de 90% no volume de adubo armazenado, transportado e aplicado. Consequentemente redução do consumo de combustíveis, menor compactação de solo e melhor aproveitamento da mão-de-obra. O ganho de eficiência na operação de plantio também é considerável, podendo chegar a 25% e dependendo da capacidade dos tanques de adubos fluidos, não é preciso reabastecimento durante um dia inteiro de plantio”, finaliza.

Bons resultados

João Vicente – Ibirarema (SP) – Na região de Ibirarema (SP), o produtor João Vicente Paes Marques obteve ganhos em produtividade de cerca de 20 sacas por alqueire. “Usei apenas trinta litros de fertilizantes por alqueire. Essa é, com certeza, uma opção muito mais prática e econômica com resultados muito satisfatórios. Eu recomendo essa tecnologia”, afirma o agricultor paulista.

Cesar da Silva – Bela Vista do Paraíso (PR) – O produtor de Bela Vista do Paraíso (PR), Cesar da Silva, participou do Projeto Pioneiros pela segunda vez e confirmou a praticidade da técnica e os bons resultados de produtividade. “Tivemos uma diferença de dez sacas de soja a mais por alqueire. Além disso, o plantio é feito de forma mais rápida, devido ao menor volume de fertilizantes e poucas operações. Já é a segunda vez que utilizo a tecnologia Nutriceler e vou repetir na próxima safra”, comemora o sojicultor.

Emílio Tronco – Palmital (SP) – O produtor Emílio Tronco, de Palmital (SP), obteve incremento de produtividade de 21%, com aumento de 21 sacas por alqueire. O agricultor destaca as facilidades operacionais da técnica e a economia com e rendimento que ela proporciona como grandes vantagens. “Esse ano utilizei os fertilizantes da Nutriceler e recomendo esse tipo de adubação líquida. Acredito que essa técnica é viável tendo em vista as facilidades de trabalho”, afirma o agricultor.




Publicado em 13/07/2015